segunda-feira, 5 de junho de 2017

Quando o ser atinge uma plenitude; BH, 0230402017.

Quando o ser atinge uma plenitude
Existencial e invejável, é que, 
De fato aprendeu a viver; e poucos 
São os que, alcançam tal estabilidade
Inabalável, mantêm retidão,
Ética e comportamento pudibundo
E complementado com o decoro; com
A alma em blandícia, o espírito em 
Ênfase, o ser é um atavio e a vida
Um sigilo pois, ninguém precisa 
Sabe da vida de ninguém, nem
Da pessoa, dos parentes e dos entes 
Dentes; o que interessam são as 
Entidades saradas, as assombrações 
Curadas, os fantasmas sadios, os
Ectoplasmas sãos, as almas
Felizes, os vultos perceptíveis, 
As sombras vivas, as silhuetas
Visíveis, os simulacros materializados,
Os virtuais físicos, os fetos de 
Gênios nadadores, os etes
Fossilizados há milhões de anos
E os raríssimos duendes azuis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário