terça-feira, 25 de março de 2014

Antes de dormir de madrugada; BH, 01701202013.

Antes de dormir de madrugada,
Inda quero sonhar mais um pouco;
É que gosto de sonhar acordado,
Não gosto de sonhar quando estou a dormir;
Gosto de pensar que saí do corpo,
Que naveguei pelos mares e oceanos,
Pelos subterrâneos e pelos espaços siderais,
Antes de ir dormir nesta madrugada alta,
Inda quero sonhar sem ter pesadelos;
Toda vez que durmo tenho pesadelos,
Caio em abismo e despenco em precipício;
Fico preso em sepultura,
Acorrentado em caverna,
Esquecido em masmorra,
Amordaçado em calabouço,
Em solitária de penitenciária,
Em seguro de presídio
E em cubículo de hospício;
E quando acordo,
Pareço-me outro,
Corri léguas,
Lutei com gigantes,
Domei titãs,
Movi pedras,
Escalei montanhas:
Não consigo nem levantar-me da cama;
Arrasto-me o dia todo,
Todo moído
E qualquer ruído,
Deixa-me doído;
E o tempo não passa,
Nada dá certo,
Amarrotado,
Um terno que nunca foi passado,
Escondo-me atrás da porta,
No vão da escada,
Na sacada,
Em cima do muro,
Disfarço-me junto à parede;
E a noite vai e vem a madrugada
E pega-me ao deitar mesmo sem sono
E sonho o que tenho medo de sonhar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário