domingo, 23 de março de 2014

Quem quer alguma coisa; BH, 01601202013.

Quem quer alguma coisa,
Há de querer mais do que alguma coisa,
No meu caso, quero mais do que o querer;
E o querer é o universo,
O infinito e a eternidade
E a posteridade;
O querer é o caos,
É a velocidade da luz,
É o sistema solar de exoplanetas,
De bilhões de galáxias grávidas,
De bilhões de constelações gêmeas;
Quem quer alguma coisa,
Não precisa saber o que quer,
Há de querer o que ninguém quer,
Há de querer o que ser nenhum nunca quis
E há de acertar no querer;
Há de dar um tiro no escuro do buraco negro
E liberar a energia que iluminará o desejo de
Querer algo mais do que alguma coisa querida;
E desse jorro de gozo de prazer
E desse gêiser de lava dessa explosão,
Expelida da cratera do vulcão responsável,
Por esse vácuo que a tudo engole sem ter boca,
Sem ter estômago e organismo,
Esse vácuo sem elemento e eco e grito;
Esse vácuo de matéria desconhecida,
Que faz do querer o querer algo mais além
Do querer sem saber porque.

Nenhum comentário:

Postar um comentário