sexta-feira, 14 de março de 2014

Já tive momentos; BH, 02301102013.

Já tive momentos de inspiração,
Agora só tenho momentos de irritação;
É a falta de solução,
Para quem a única solução é morrer;
E não sei para que querem solução
E cobram-me resoluções
E irritam-me com falsos sorrisos
E fazem de mim um hipócrita semelhante;
E não aspiro nada
E nem espiro nada
A não ser expirar na hora certa;
E que não deverá passar da hora um minuto sequer
E adeus mundo que pensava que era vasto
E acabou-se para mim em um segundo;
E não quero ter mais nada
As irritações não terei como fugir,
São da velhice
E me acompanharão ao túmulo;
São as heranças as irritações,
Os resquícios de depressões mal curadas,
Da vida mal vivida
E de morte mal morrida;
Já tive pensamentos,
Sentimentos,
Sentidos;
Já tive percepções,
Intuições
E não tenho mais nada,
Nem ar nos pulmões,
Sangue nas veias,
Vibrações
E reverberações;
Já tive ecos que pulavam de paredões em
Paredões até perderem-se nos fundos dos
Meu ouvidos olvidos;
Já tive chuvas dentro de mim,
Em algum lugar sol,
Agora só geleiras glaciais,
Constelações de icebergues.

Nenhum comentário:

Postar um comentário