terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Alameda das Princesas, 756, 19; BH, 0170802012.

Vi uma frase muito triste num jornal, uma
Frase dita por alguém, que com certeza,
Não passa por um bom momento de vida,
Com estabilidade física e emocional;
A coisa que mais amo fazer é escrever
Poemas e a frase dita por uma cantora,
Que nunca ouvi falar e nem cantar,
Era: "incendiar todos os poemas"; e
Incendiar um poema, mesmo que
Não seja de minha autoria, é o
Mesmo que me incendiar; imagina,
Incendiar um poema meu? essa
Sentença dita, foi o pior veredicto
Proferido num julgamento; pior do
Que uma condenação à poesia de
Morte; se há algo em minha vida de que
Gosto de dar vida, é à poesia, ao
Poema; jamais quereria matar, incendiar,
Exterminar a manifestação da arte
De alguma maneira; e o que a arte
Precisa, é de vida, de liberdade, de
Independência, de posteridade; a
Arte precisa do infinito e o infinito
Da arte; e a imortalidade não seria
Nada sem a arte; e a linguagem
Da arte é o poema, a poesia, o
Cinema, o teatro, a literatura, as
Belas-artes, artes-plásticas, todo o conjunto
Cultural de uma nação; e a nação
Brasileira é culta, rica em folclore,
Em danças, carnaval, samba, música;
E jamais quereria ver o fim dessa
Representação que está em mim e
Estou nela, numa relação íntima,
Que espero nunca tenha mesmo fim.    

Nenhum comentário:

Postar um comentário