terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Alameda das Princesas, 756, 22; BH, 0170802012.

Toninho Geraes,  meu sambista e meu
Amigo preferido, nunca esquecerei,
Jamais, do show que deste num
Bar na Rua do Rezende, no Rio de
Janeiro no dia do meu aniversário;
Toninho Geraes, meu amigo e meu
Sambista, pai de sambas imortais,
Também não esquecerei, de quando
Disseste, que só pararia de compor,
No dia em que morresses; me leva,
Vento me leva pra ela, que bonito;
Também já tive mulheres de todas as
Cores, que beleza, Toninho Geraes,
Patrimônio do nosso Rio de Janeiro;
E quando eu chegava ao restaurante,
Lá na Avenida Mem de Sá, tomava umas
E outras e quando ia pagar a conta,
A conta já estava paga; eras tu, que,
Escondido lá no fundo, surpreendia-me,
Por mais de uma vez; como tudo que
É belo no Rio de Janeiro, também és
Maravilhoso, com tuas poesias, teus
Poemas e tuas odes à alegria do samba;
Ainda bem que o Rio de Janeiro, a
Cidade do Samba e do Carnaval, te
Recebeu muito bem; no princípio deve
Ter sido um pouco duro para todo
Principiante, mas depois as coisas se
Arrumaram e hoje és consagrado na
Própria voz e nas vozes dos mais
Importantes nomes do samba brasileiro;
Toninho Geraes, poeta popular, cancioneiro
E sambista, o samba fincou em ti a raiz

Nenhum comentário:

Postar um comentário