domingo, 14 de dezembro de 2014

Alameda das Princesas, 756, 45; BH, 0310802012.

Emparedei-me nesta pedra e dela
Farei abrigo, pois, aqui, não corro perigo;
Esta pedra é firme de rochedo, de rochas
Vulcânicas milenares de antigos vulcões;
Resistente a tempestades, terremotos e
Furacões; não se abala com maremotos,
Tsunamis, vendavais; e nem o tempo é
Capaz de desgastar esta rocha; quem
Construir aqui, fortaleza, castelo, morada,
Nada temerá; todos os minérios a
Compõe, o que a torna uma rocha
Nobre, do quilate de um diamante,
Do valor de um ouro maciço; é uma
Rocha que veio do espaço, formada
No princípio do universo e traz a
Mesma idade dele; tem muita
Consistência, muita consciência e
Muita história para contar; quem
Adquirir um teor assim, com certeza,
Nobre também se tornará; quem tem
Uma libido destilada assim em pedra
Tão perene, sempre terá firmeza onde
Colocar os pés; equilibrará nas linhas
Paralelas e será o ponto convergente do
Equilíbrio universal; fiz o certo, o perfeito,
Emparedei-me, aqui, neste paredão e
Perto dele sou um átomo, ou melhor,
Um dos componentes do átomo, de tão
Imenso que é este sedimento em que me
Firmei; e fiquei inspirado de argumento,
Cheio de pensamento, como se tivesse uma
Imaginação de quem sabe reger uma
Orquestra sinfônica; e ser o regente
Filarmônico desta pedra que nasce
A cada choque de universo no infinito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário