sábado, 20 de dezembro de 2014

Alameda das Princesas, 756, 60; BH, 040902012.

Quando o meu corpo baixou ao necrotério do
Instituo Médico Legal, para as análises de
Praxe, a autópsia, a necrópsia, a lavratura de
Ocorrência de causas mortis, o legista
Responsável perguntou indignado: qual a idade
Deste ancião, coitado, parece-me um ser
Pré-histórico? alguém respondeu: não, não é
Tão idoso assim; como, não? com todas essas
Rugas, corpo ressequido, carnes e músculos
Flácidos; sim, mas não tem todo este tempo,
Não, é que levou uma vida de prazeres, orgias,
Farras em companhias de putas, concubinas,
Meretrizes, raparigas, em muitas noites perdidas;
E assim ficou com essa aparência de velho
Decrépito, de ser pré-histórico fossilizado, mas,
Na realidade, a idade é menos do que o
Tempo dele, aparenta; o legista a redigir e a
Redigir o atestado de óbito, lavrou lá: cadáver
De pouca idade e que no fundo apresenta
Sequelas de pessoa que viveu muito, mas é
Totalmente ao contrário, segundo testemunhos,
Viveu pouco, porém, na perdição, o que deixou
O corpo como se fosse um carvão; a pele
Encrespada; morreu inda a pouco e quem olha,
Pensa, que está em adiantado estado de
Decomposição; o melhor seria enterrar logo,
Ou queimar e se houver velório, não abrir o
Caixão; caixão lacrado, ou todos que depararem
Como o defunto, sairão a correr em disparada,
Como se estivessem visto, a mais feia assombração;
Assinou o atestado e foi internado num hospício.

Nenhum comentário:

Postar um comentário