quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Alameda das Princesas, 756, 70; BH, 0120902012.

Todos os meus pensamentos não habitam-me mais,
Nem os bons e nem os maus pensamentos; pois,
Todos já foram aprisionados nos papiros, nos
Manuscritos e nas folhas de papéis de carbono; e
Encontro-me sem nenhum pensamento que seja
Inquilino, proprietário, ou visitante; o calabouço
Está abandonado, a masmorra está vazia, não
Mantenho prisioneiros nas cadeias, nos catres, nas
Celas; os sanatórios, os hospícios, os reformatórios
Encontram-se desocupados; e os pensamentos
Perdidos, esses não houveram efeitos, baniram-se
No lume; e os pensamentos achados, são os que
Passaram a ser imortalizados, tanto que agora,
Quando consulto-me no oculto, sinto-me
Totalmente aleatório, evasivo, sem condições de
Dialogar; e passo a não ter nada para dizer,
Mantenho silêncio, calo-me, não canto e nem
Capto um conhecimento, não absorvo uma
Informação; não faço perguntas, e nem fazem-me
Perguntas, e respostas, soluções resoluções,
Passam a ser sagradas e quem as têm, não as
Profanam; não as passam a outros, por isso, a
Partir do momento que as passam e não as
Guardam mais, profanam-nas e deixam de ser
Consagradas, santas; uma resposta certa, pode
Virar o sol ao avesso, uma solução acertada,
Pode parar o universo, uma resolução correta,
Pode diminuir o infinito; e quem, hoje, tem a
Perfeição para essas grandezas inconcebíveis?
São coisas sem letras, sem palavras, sem
Pensamentos, que só acontecem de milênios em
Milênios, igual Miles a tocar Kind of Blue,
Um momento único do que é raro e perfeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário