sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Alameda das Princesas, 756, 56; BH, 040902012.

Rapaz, aprendi a deixar de ser ansioso,
Creia, aprendi a deixar de ser
Desesperado e angustiado; e dei um
Grande passo em direção à evolução:
Aprendi a deixar de ser estúpido; e
Dei uma guinada no meu caminho,
Aprendi a deixar de ser bizarro; rapaz,
Nem te conto, acredita, tracei um
Norte em minha vida e adquiri
Conhecimento; aprendi algo importante,
Como deixar de ser mesquinho,
Mórbido; e as coisas básicas que impediam
A minha sobrevivência, consegui
Dominar com um pouco de perfeição;
Já falo melhor, escrevo melhor e
Vejo um pouco melhor; já sei até
A andar e nem me aborreço mais;
E a alegria chega ao peito, quando
Se aprende algo, é pura maravilha,
Quando se aprende a beber e a comer,
É ótimo quando se aprende a viver;
E confesso a ti, sem sombras de
Dúvidas, aprendi a deixar de ser
Ignorante, é como se uma luz,
Brilhasse em mim; e já presto atenção
E observo muitas coisas das quais,
Não tinha percepção; que benção,
Meu irmão, sinto-me um deus,
Por ter acabado de atingir, o que
Mais almejava; mortificava-me o não
Saber estas coisas, acredita, mumificava-me
Esta falta de teor; vê bem, em poucos
Minutos, quantas coisas te falei, com
Quantos sons preenchi teus ouvidos; antes,
Encontrava-te e era um mudo no mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário