sábado, 13 de dezembro de 2014

Alameda das Princesas, 756, 43; BH, 0290802012.

A fruta é pão, o pão é fruto e o trigo é grão,
A terra é mãe, o homem é barro e o barro
Nasce da terra; o barro é argila vermelha,
Argila é tabatinga, tabatinga é cura; a cura é
Joia, a joia é pérola, a pérola é negra e
Negra é a pele da minha alma; minha alma é
Cepo, cepo é meu espírito, cepo seco de
Tronco, se não tiver o amor dos negros das
Senzalas nas rodas de cantigas; cepo seco
Se não cantar para essas santas sacrificadas
Nos pelourinhos; o sangue é vermelho,
Vermelha é a cor, a cor é forte, forte é a
Liberdade; liberdade é povo, povo é poder,
Poder é potência, potência é viver; viver
Independente, com cidadania, com soberania,
Com dignidade na palavra, nos atos, na
Formação da nação; nação de verdade, com
História, passado, presente e futuro; nação
Com sustentação dos seus índios, negros,
Brancos e toda a miscigenação, que foi
Possível formar a brasileira; e para os que
Não a respeitam, a resposta é a grandeza, a
Cultura, a educação, a civilidade que
Demostramos no dia a dia; é o resultado do
Trabalho, o forte aroma do suor derramado,
O peso do salário no bolso no fim do mês;
É a justiça, não essa justiça que não se
Justifica perante a nação; não essa justiça
Capenga, comandada pelos tubarões da
Burguesia, da elite; não essa justiça falha,
Que muito nos envergonha e nos causa temor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário