segunda-feira, 28 de março de 2011

Já andei pelo mundo; BH, 0180202011.

Já andei pelo mundo
Antes, andei pelos continentes e
Por países e cidades; conheci
Todas as aldeias, tabas, fauna
E flora; atravessei mares com
Os grandes navegadores e vi
Náufragos e naufrágios; tive
Naus e caravelas; já andei por
Montes e montanhas, estive
Em morros e ladeiras; vi a
Matança de indígenas e as
Fogueiras da inquisição
E a perseguição das bruxas;
Ou, sou andado e me fale
Um planeta que não tenha
Visitado ou uma estrela
Que não tenha beijado,
Ou um sol que não
Tenha tatuado na pele,
Ou uma lua por quem 
Não tenha me apaixonado;
Sim, não nego, já andei pelo
Mundo; fui pedra, fui índio,
Fui pastor; árvore, ave, vento,
Brisa, fui flor, capim,
Grama e jardim; e agora,
Ai de mim, malgrado meu,
Nem sei quantos anos tenho
E muito menos quantos sou;
Sou incontável e à toda
Hora me multiplico, me divido
E me somo pelo infinito e
Sumo nas poeiras, nas areias,
Nos átomos e para me encontrar
Às vezes é fácil e outras difícil;
Estou nas letras, nas palavras,
Nas sentenças: só não estou em mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário