quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Para entender o governo; BH, 0801101999.

Para entender o governo,
Representante maior,
Da burguesia e da elite,
Só se acapoeirar-se como ele,
Tornar-se capoeira fajuto,
Acanalhar-se igual a ele;
Mas cuidado que isso,
Pode causar a acapnia,
A diminuição da taxa,
De anidrido carbônico no sangue;
O governo é nocivo,
Faz mal à vida e à saúde;
O governo é cruel,
Acartolado e comandado,
Pelos cartolas do poder,
Tão iguais ou até piores,
Que os acartonados,
Que bem sabemos e conhecemos,
Pelos cartões do dia a dia;
Sem aspecto ou forma,
Se adaptam a quem,
Demonstrar mais lucro,
Na hora de acartonar,
A soberania da nação;
Esse governo acasacado,
Que não arregaça as mangas,
Não vai à luta,
Não tira a casaca,
Para suar a camisa;
Quer mais é ver o povo,
Acascarrilhado e sem jogo;
Sem cascarra e cartas,
E só quer é arrochar, é apertar,
Comprimir muito,
E ser exigente com aqueles,
Que estão sob sua dependência;
Mas é um criar de dificuldade,
Um acartuchar, prover de forma,
Que cada um  viva como
Num cartucho; e sem acasear
Para os pobres, abrir casas
E soluções ou casear para
Acabar com o aluguel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário