sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Fui feito assim açamoucado; BH, 0401101999.

Fui feito assim açamoucado,
Com o mau emprego do material,
De construção e acabamento;
Fui feito assim mesmo,
Sem arte e talento,
Sem gosto ou segurança;
Meu ser acampto,
Meu espírito opaco;
Não reflito a luz,
E meu coração acampainhado, com
Campainha de pêndulo de relógio,
Campanudo na campânula,
Só falta parar de balançar;
Meu aspecto acamurçado,
Semblante de camurça,
Sombrio na cor,
Escuro no preparo,
Mete medo em assombração;
Quem dera se,
Tivesse dentro de mim,
A alma da acamutanga,
Ave da família dos Psitacídeos;
Quem dera se fosse,
Uma espécie de papagaio,
Mesmo de pirata,
De perna de pau,
De olho de vidro
E cara de mau;
Mas que nada,
Estou mais para açaná,
Esta galinha dos Ralídeos,
Este frango d'água pernalta,
Que foge com medo de tudo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário