sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Não mande-me embora; RJ, 0210501998.

Não mande-me embora,
Penso em ti toda hora;
Sinto a tua presença,
Vejo a tua imagem,
Tua sombra e silhueta;
Não abandone-me,
Guarde o meu nome,
Mate minha fome
De amor e paz;
Preciso de teu leite,
Do teu mel, do teu leito
E do teu jeito;
Não sei o que será,
Que vai me acontecer,
Se me deixares morrer,
Afogar-me em mágoas,
Em manchas e nódoas,
Perder-me em erros;
Acerta-me os ponteiros,
Dá-me corda e vida,
Não me reprimas
E nem me proíbas de nada;
Deixe-me ser feliz,
Livre e sem censura;
Não me expulses,
Deixe-me acoplar em ti;
Ser o teu parceiro e cúmplice,
Teu verdadeiro escravo;
Não mande-me embora,
Minha alma chora;
Ficarei destruído
Distante de ti
E não terei salvação,
Se não tiver a tua mão;
Abrace-me e beije-me,
Quero sentir na carne,
Tudo que é feito de ti;
Quero gravar no corpo,
Tudo que for feito por ti.

Nenhum comentário:

Postar um comentário