terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Minha alma habitas em mim? e escreves; BH, 0701102012.

Minha alma habitas em mim? e escreves
Alguma coisa aqui neste papel leitoso;
Meu espírito estás em mim? rabiscas
Qualquer esboço de letra neste papel
Sedoso; meu ser és em mim? registas
Aqui, neste papel inútil, seboso, um 
Croqui de palavras, é que o céu está 
Carregado, pesadas nuvens e preciso
Dizer um significado; amanhã, quando
Morrer, alguém poderá dizer: morreu, 
Mas, disse algo, registou numa folha
Um significado; e percebeis como 
Isso já nos mudou? uma frases vazias, 
Umas linhas retilíneas e o universo
Não é mais o mesmo; como expressar
O que se passa agora neste momento
E não deixar morrer? será que era 
Isto que queria dizer? o céu está lá 
Fora carregado em cima dos meus 
Ombros; curvo-me pelo peso deste 
Firmamento turvo; acendi as luzes do 
Hall, clareou um pouco, mas, não 
Alegrou-me de todo; e sinto-me bem,
Como se estivesse pronto para a 
Morte; penso que todo mundo deveria
Estar pronto para a morte; sou 
Depositário fiel desta minha alma,
Quero-a aqui comigo; sou companheiro
Amigo deste meu espírito, psicografo-o;
Sou camarada de jornada deste meu 
Ser: os quatro nos resumimos 
Apenas nesta sombra na parede.

Nenhum comentário:

Postar um comentário