quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Será lá no arco-íris a minha nova; BH, 01301102012.

Será lá, no arco-íris a minha nova 
Morada, serelepe voarei para mudar,
Aqui deixarei o meu passado e as
Pedras usadas para enterrar-me;
Será lá, depois deste céu, o céu
No qual verei brilhar a morada
Definitiva, na qual irei instalar 
O meu lar; a luz, luz que só falta
Cegar-me, escreva em minha 
Pele negra, os mandamentos que,
Terei que, usar; a luz, luz de fonte
Tão poderosa, escreva com esse 
Fogo em minha fronte, os meus raros
Pensamentos, provérbios e parábolas;
Tudo novo e remodulado, tudo muito
Bem reformado, será lá no infinito,
O meu primeiro grito de nascimento;
O meu primeiro balido de carneiro,
De cordeiro do rebanho banhado de
Luz; luz, luz que conduz-me, rei mago,
Pelos desertos gelados das madrugadas,
Aos abrigos das manjedouras; será a 
Minha fortaleza suspensa, feita de 
Pedras de pirâmides e inabalável,
Como um espírito de carne e osso e 
Completarei a transfusão do meu
Sangue para a luz; e haja o eterno 
E quem é que não quer o eterno? 
E o eterno é o mesmo de um viver 
De novo? será lá no eterno, então,
Que amarrarei as cordas deste 
Coração e como sou escravo dele,
Tão cedo sairei de lá e em cada 
Tempestade solar, enviarei minha canção.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário