quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Minha vida não é totalmente perdida; BH, 01101102012.

Minha vida não é totalmente perdida,
Só por que sou um perdido que,
Corre atrás de poesias perdidas; se
Não fosse isso, seríamos inda mais
Perdidos: vida, poesias, eu; e estas
Poesias são os lixos gerados do meu
Ócio, não são luxos pois, quem tem ócio,
Não gera luxo e sim lixo; e poesias
Perdidas, salvam perdidos da
Perdição? e o lixo é o mais perdido,
Ou o luxo é o mais perdido? todo passarinho
Perdido deveria ter um abrigo para pássaros
Em época de chuva, inverno, ou mesmo
Verão de muito calor; o único abrigo que
Tenho, a única esperança é a poesia, perdida,
Tanto quanto sou; canto nela em cantilena,
Nela, uivo e nela existo; e sem ela, se
Algum dia faltar-me mas, não me faltará,
Continuarei perdido; e aos perdidos do
Mundo, se algum dia pensásseis em mim,
No que estou a fazer, no exato momento
Em que pensásseis em mim, a conclusão
Seria que, estou a fazer poesias, a
Escrever poemas, outra forma de vida,
Não poderia habitar-me; e são nestas
Poesias que tenho o meu único 
Momento de conforto; depois da 
Passagem da luz, depois da virada 
De página, no fim, só estas 
Poesias perdidas que, farão com 
Que, os perdidos lembrem-se de mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário