sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Maria da Conceição Santos Medina, Daí para cá.

Daí para cá, nunca fiquei sem ganhar o sustento dos meus pais,
A vida no São Mateus arruinou muito, e tivemos que mudar
Para o Itambacury, onde tivemos de morar num barracão do
Colégio Santa Clara, onde minha irmã Lourdes, com pouco
Mais de dois anos, foi mordida de uma cobra venenosa
Chamada jararaca: tudo para mim era muito ruim; mas, o que
Eu queria mesmo era aprender a ler para poder melhorar minha
Vida; minha mãe arranjou um jeito e me internou nesse Colégio
Santa Clara; aí é que era dureza, levantar cedo para ir para a
Escola, não tinha café para tomar, chegava, não tinha nada para
Almoçar; mas eu não desistia, um dia cheguei com muita fome, e
Como já não estava aguentado, comecei a chorar; minha mãe
Deu uma volta e me trouxe uma banana verde descascada,
Assada no borralho, que me alimentou bem; daí todos os dias
Minha mãe saia para trabalhar nas casas afim de arranjar o meu
Almoço; como não deu certo por causa dos pequenos irmãos
Que tinha e do meu pai que estava doente; meu pai ficou doente
Uns três anos; o jeito foi eu internar no Colégio, asim melhorou
Um pouco para mim; mas meus pais tiveram de mudar para um
Outro barracão nas chácaras dos Padres, dentro da capoeira,
Perto de uma mata, que segundo os moradores de lá, tinha até
Onça; pois bem, gostei muito do Colégio. tornei-me uma boa
Aluna, a escola para mim foi muito fácil, mas sofria muito porque
Não podia melhorar a vida da minha família; um dia a Superiora
Ficou a par da situação e resolveu me pagar dez mil réis pelo
Trabalho que eu prestava ao Colégio, além de estudar; isto foi
Bom, todo mês eu podia fazer uma feira para a minha mãe; nessa
Época, também, minha mãe deu à luz o meu irmão Gaspar, que
Por causa do mau trato, ela perdeu o juízo por três meses; mas
Os padres e as irmãs do meu Colégio fizeram de tudo para que
Ela se tratasse e ela ficou boa; foi o meu maior sofrimento quando
Vi meu irmão pequeno e minha mãe sem juízo; isso já em 1935,
Quando eu conclui o quarto ano primário; assim mesmo fui a
Segunda da turma, aprovada com 9,4; minha mãe já com saúde
Morava já em uma fazenda de um tal B Nascimento, que fez
Com que meus irmão fossem divididos entre fazendeiros, para
Ver se a vida deles melhoraria; um foi ser tocador de burro, o
Arnaldo, o Manoel foi ser espantalho em arrozal, até que perdeu
A voz de tanto gritar com os passarinhos; Alzira foi para o Colégio
Onde eu estava; mas nada fazia a situação da minha família melhor
Como eu desejava; cada vez mais eu sentia o desejo de estudar,
Agora vou vencer! vou ser alguém, vou ainda ajudar meus pais
Saírem dessa pobreza, mas tudo era tão difícil! no Colégio eu
Fazia novenas e mais novenas a N.S. do Perpétuo Socorro! eu
Rezava fora de hora na Capela, adorando o Santíssimo Sacramento,
Fazia sacrifícios, mas nada disso adiantava; nessa época eu só
Conhecia a idolatria, tenho tristeza disso; hoje não, hoje falo face
À face com meu Deus vivo - 1950.

Felipe
Hoje é o primeiro ano de sua vida
Queria dar-lhe de presente uma
Bíblia.
Rio, 18 de outubro de 1984
Sua avó Conceição.

Arthurzinho e Samuca
Queria ver os seus filhos
Rio 27-10-84

Suzana
Você é uma graça te amo
Rio 8-3-1985

Nenhum comentário:

Postar um comentário