sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Cabeça totalmente vazia e Rimbaud; BH, 0250802013.

Cabeça totalmente vazia e Rimbaud, 
Budelaire, nada reanima, tédio
Puro, Proust, Joyce, nenhum para 
Acudir-me; pensamento no oco total,
Ideia, nem para se ter uma ideia; e 
De importante, nada que seja capaz
De impressionar alguém que se 
Impressiona importante; e todos 
Impressionam-se como os mais 
Importantes uns dos outros; saio
Pela tangente, à francesa, escorrego-me
Do esgoto e incólume, atravesso a 
Praça, tão insignificante, no centro 
Da arena, que não chamo a atenção
Do touro e não distraio o toureiro; 
E no festival de San Firmino, no
Rodeio dos peões de Barretos, dos
Boiadeiros, só pensava na absurdidade
Que a estupidez é capaz de nos fazer
Chegar; para certas coisas temos
Que ser de fato estúpidos, ou não 
Seremos notados, temos que ser 
De fato ignorantes, ou seremos 
Ignorados; e não sei porque, por mais 
Que tenhamos diplomas, títulos, não
Temos forma; a nossa fórmula não
Funciona, não causa efeito e a 
Nossa conjectura é um defeito
Sem conserto; cansei de olhar para
As mesmas paredes.as mesmas 
Galerias, cansei de olhar; não vejo
Mais o azul que impressiona-me,
Nem do céu e nem do mar: e é a 
Única coisa pela qual quero deixar 
Impressionar-me.

Nenhum comentário:

Postar um comentário