sábado, 16 de janeiro de 2016

Samba alegria de um povo e bandeira; BH, 02601002012.

Samba alegria de um povo e bandeira
De uma nação, samba, hino nacional
De um país, causa de minha razão;
Não nasci batuqueiro, não nasci em
Terreiro, mas virei candongueiro, o
Sangue de tuas veias, é o sangue da
Minha inspiração; meu samba não é
De bamba, não é de partideiro, nem
Do Rio de Janeiro, mas é o meu
Samba brasileiro; é o samba que sei
Cantar, que sei compor e quero
Batucar, outro samba alienígena que
Não venha para cá; aqui nasceu o
Meu coração, coração de todos os
Escravos e cativos que batiam nas
Palmas das mãos; os meus ancestrais,
Que riscaram em minhas costas,
Estas notas desses sambas geniais,
Transformados de gemidos sofridos,
Em memoráveis carnavais; nossos
Corpos que serviram de tambores,
Para agradar nossos senhores, que a 
História não pode esquecer, da 
Senzala à casa grande, quem mais
Legado deixou, foi o samba que a 
Tristeza criou; agora é alegria em
Qualquer batucada, sempre a 
Comemorar o fim da escravidão e o 
Raiar da liberdade, até o nascer da 
Madrugada; samba, identidade de um 
Povo, olha aqui de novo, quero te 
Saldar e já dizia o Preto-Velho, o 
Samba não pode acabar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário