sábado, 16 de janeiro de 2016

Ode à Alegria; BH, 02601002012.

Alegria, quero compor a minha ode a ti,
Alegria, maravilhado com as maravilhas
Que conténs, comporei esta ode
Endeusada a ti, deusa; e a mostrarei
Aos meus amigos, companheiros e 
Camaradas; subirei em altares, aras,
Púlpitos, pedestais e a cantarei em
Solo e em corais; queres saber a causa
Que endereçarei a ti esta ode? é que 
Cansei das elegias às tristezas; cantei
Tristeza desde o dia em que nasci e 
Há muito desejo mudar, enaltecer a 
Felicidade, viver a harmonia das 
Quatro estações; e hoje comecei uma
Vida nova, uma vida de compositor 
De odes; mudei de profissão, meu 
Papel agora será o de passarinho
Canoro; meu figurino será o de cantar
E levar a alegria a todos os seres e 
Criaturas; de manhã, igual aos pássaros
Que só cantam de manhã, de tarde,
Igual aos pássaros que só cantam de 
Tarde e de noite, imitarei aos pássaros
Que só cantam de noite; e todo os 
Pássaros só cantam à alegria, alegria, 
Passo a cantar todo dia, esta ode que 
Conta a beleza das tuas manifestações; 
A receba como a primeira de uma 
Série de infinitas odes que dedicarei 
A ti neste pequeno espaço de tempo 
Que é a minha vida, nesta pouca 
Lucidez que habita a minha alma
Embriagada e neste raro momento 
De sobriedade deste meu espírito ébrio. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário