sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Depois que apoderaste; RJ, 03001101996.

Depois que apoderaste
Do meu coração,
Minha vida mudou:
Passei experiências terríveis,
E todas as forças estranhas,
Queriam me derrubar;
E estava num dilema,
E tu do outro lado,
A tentar me devorar;
Sou compacto,
Tenho muita banha,
Colesterol e gordura,
Para tentares me fritar;
Sou nervo de pata de boi,
Tutano de mocotó,
Muita dobradinha com feijão branco;
Não vai ser com qualquer ar faceiro,
Que vais me levar;
É muita energia armazenada,
Muita concentração de bacon,
Torresmo e presunto;
Traga um guindaste,
Sou pesado para chuchu;
Traga um rebocador,
Para poder me arrastar;
A andar de boa vontade,
Talvez não vá;
Sou preguiçoso demais,
Não vais me aguentar;
Sei que não tenho culpa,
Foste tu que foste te apaixonar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário