quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

E estou longe e bem longe; RJ, 02601101996.

E estou longe e bem distante,
Da humanidade e do povo,
Das pessoas que estão perto de mim;
Estou longe e bem sei,
De tudo que na verdade,
Vou procurar saber;
Andarei o dia todo,
Caminharei a noite inteira
E quanto mais longe for,
Não me sentirei ainda,
Em lugar seguro;
O mundo é isso aí,
Um eterno vai e vem;
A gente a pensar que,
Quanto mais longe for,
Mais perto vai estar,
Da verdade do cotidiano,
De uma vida levada,
A um encontro do nada;
Procurar e achar e perceber,
Ao faltar sentidos naturais,
Todos que garantam a sobrevivência,
Em contexto adverso à poesia,
Ao poema e ao soneto e à elegia;
Inspiração fugiu de num golpe de luz,
Que não pertence à menina dos olhos,
À íris transparente e límpida,
Qual água a jorrar em fonte
De alma pura e cristalina;
Calma aí, gritaram adiante,
O que sofreste tu em vida,
Defunto?
Cai fora!

Nenhum comentário:

Postar um comentário