quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Não faz sentido; RJ, 02101101996.

Não faz sentido,
O cenário político nacional:
Lutei tanto pelo fim do Delfim,
Pedi a cabeça do Delfim,
E o Delfim está aí em mim;
Pedi pela queda do Sarney,
Sarney é presidente do senado;
Abominei Antonio Carlos Magalhães,
E hoje é um homem famoso,
No brasil todo;
Lutei contra não sei o que,
Todos estão aí,
A se aproveitarem da mamata,
Da negociata e corrupção;
Vendem tudo que temos,
Vendem até a nação;
Penso que até o Pelé,
Falou bem quando disse,
Que o povo não sabia votar;
O povo vota por estética,
Por migalhas, arroz e feijão;
Não vota por mudança,
Não vota por revolução;
Vota no mais bonito,
No que tem mais opinião,
Veiculada no domínio da mídia;
Não tem sentido,
O povo não tem sentido;
Perde o que tem
E não derruba aqueles,
Que querem que o povo,
Não tenha nada;
Não faz sentido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário