sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

É preciso que alguém faça alguma coisa; RJ, 02201101996.

É preciso que alguém faça alguma coisa,
E por exemplo não sei fazer nada;
Não tenho profissão
E nada aprendi,
Durante o período,
Em que vivi aqui;
E não vai ser agora depois de morto,
Que vou fazer alguma coisa;
Em vida fui demagogo,
Egoísta e ambicioso,
Hipócrita e imbecil;
Agora sou poeira,
Voltei ao pó;
Agora sou lama,
Sou esterco;
Algum vivo por aí,
Que faça alguma coisa;
Em vida fui medíocre,
Sem amigos e sem parentes,
Sem paz e sem amor;
Agora o que é que sou?
Um amontoado de ossos,
Ossos velhos e enegrecidos,
Jogados em uma caixa,
De um cemitério qualquer;
Nem o meu coveiro,
Vem me visitar mais;
E inda não colocaram
Outro na vaga,
De minha sepultura;
É preciso que alguém faça alguma coisa,
E o que estou morto aqui,
Vou é morrer de rir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário