quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Poeta não vai para o céu; RJ, 02201201996.

Poeta não vai para o céu,
Não toma tapa numa face da cara,
E nem vira a outra face,
Para levar outro tapa;
Cobiça a mulher do próximo,
Mente e peca;
Poeta é imortal,
Deus não gosta de concorrência,
E amaldiçoou o poeta;
O céu não é lugar ideal,
Para receber um poeta;
Poeta mata e rouba,
Vai contra os Dez Mandamentos
E faz tudo ao contrário,
Como manda a sociedade
E o figurino da moda;
Não leva desaforo para casa,
Dá porrada e briga e quebra;
Lugar de poeta é o inferno,
O sofrimento e a solidão,
A areia do deserto,
O calcanhar de alguém
A esmagar a cabeça dele,
Na poeira da estrada, ou
Nas pedras do caminho;
Sem amor,
Sem paz,
Sem destino;
Aqui jaz,
Um macabro poeta,
Um ser decrépito, disforme,
Que quer que seja igual,
Mas não é poeta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário