domingo, 15 de novembro de 2015

Pedra e um dia vem broto de flor; BH, 060702013

Pedra e um dia vem broto de flor,
Broto de bambu, sim, um dia vêm;
Riacho, regato, arroio, teimo que,
Um dia vêm; nuvens, ventos, montanhas,
Montes, repito, um dia vêm; não
Sei de onde e confesso, não quero
Saber, mas, um dia vêm; se estarei
Vivo, desconfio, se estarei morto,
Tenho certeza, porém, um dia vêm,
Ou uma noite vêm, ou numa
Madrugada, numa aurora, num
Alvorecer, raiar de um dia, ou
Ao meio dia; veio para todos que
Persistiram, veio para todos que,
Insistiram, serei a única exceção?
Não quero acreditar e quero acreditar
Que, um dia vêm; por enquanto
Estão a chegar lá e por ora,
Estão à minha frente e estou
Na rabeira, estou na rabada, sonho,
Tenho pesadelo, deliro, embriago-me
E como muitos que foram por esses
Paralelepípedos, muitos esperarei,
Legiões, vêm, não é orgulho, não é
Ambição, não é cobiça; é vontade, é
Ânimo, é potência, é audácia, é
Ousadia, é fé; não pode haver um
Pote assim tão desprovido, algo
Precisa enchê-lo até aqui; não
Pode haver uma talha tão seca.
Sem uma gota de vinho, de um
Bom e encorpado vinho; sim, um dia vêm.

Nenhum comentário:

Postar um comentário