terça-feira, 24 de novembro de 2015

Perdi densidade e tinha dimensão; BH, 0170702013.

Perdi densidade e tinha dimensão,
Perdi estrutura e condição, fali
Como pessoa, rastejei como ser humano;
Diminui inescrupulosamente, perdi a 
Ética e o comportamento com decoro
E daí, senti dificuldade em existir; 
Não foi fácil para mim, queria mudar
E pegava o caminho errado, queria
Consciência e não encontrava a 
Porta certa; batia de cara nas 
Paredes, nos muros e nos paredões;
Escorregava em desfiladeiros e 
Afogava-me em sorvedouros;
Nunca sabia o que queria, o que era,
Quem era, deixei a estatura por 
Qualquer coisa; desaprendi com o
Tempo e não ensinei a quem queria 
Aprender; virei conjectura na boca de
Lobo e não encontrei ouvido amigo, 
Pois não cativei; minha mãe chora 
Sozinha no quarto, sei bem, diz que o
Peito dói, e que está ferida por dentro
E quem a escuta são as paredes que a 
Aprisionam; gostaria de perguntá-la
Se valeu a pena ser mãe e nunca irá
Negar e no entanto, é negada; quem 
Entenderá esses universos insondáveis,
Que negam a si próprios?

Nenhum comentário:

Postar um comentário