terça-feira, 12 de maio de 2015

Patagônia, 1155, 15a; BH, 0250402012.

Agora posso dizer que a fonte secou, no
Meio da tarde o sol não raiou e não
Nasceu beleza, não nasceu o belo e o
Casamento não se concretizou; o noivo
Não apareceu no altar e a noiva fugiu
Da porta da igreja, o padre ficou só e
Sozinho, com os convidados e os
Padrinhos, a esperar que a felicidade,
Viesse a enlaçar os noviços pombinhos;
O noivo queria conhecer outra sensação,
A noiva sentiu outra paixão e sentiram
Que estavam enganados um com o
Outro e cada um foi para o seu lado; e
Agora o pano caiu rápido e da boca do
Palco de boca aberta a plateia convidada
Espera um novo espetáculo; os protagonistas
São atores de ficção, feitos de plásticos
Descartáveis, que levam uma vida sem
Noção; e assim, inconscientemente, querem
A eterna semente da ambição e esquecem
De cuidar do coração; e então, peço do
Fundo desta fonte seca, que nada venha,
Interferir negativamente, na vida dos
Nubentes; que sejam sim felizes e o amor
Eterno, como deve ser o eterno amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário