quarta-feira, 27 de maio de 2015

Rio Grande do Norte, 916, 20; BH, 040702012.

Vou te contar, nunca vou chegar de
Saudade de João Gilberto e desafinado,
Com meu peito a bater um coração,
Estarei sempre com o João e com
As batidas do seu violão, suas ondas,
Manias e solidão; João Gilberto é a
Bossa Nova nossa, genuinamente
Brasileira e consagrada até pelo
Jazz norte-americano; e nunca
Precisou de muita coisa: só um
Palco, um banquinho e um violão;
E sopro de silêncio de brisa e
De vento sereno para a voz: perfeito;
E estará eterno no nosso meio,
Como um poeta a querer conquistar
A luz e a querer beijar todas as
Estrelas e a cantar como cantam
As sereias do mar; e quem ouve
Fica encantado, pede para
Ser amarrado a um mastro de
Navio, com os ouvidos da alma
Bem abertos e a morrer de ouvir o
João Gilberto; canta, João, uma canção,
Teu violão é bem afinado e
Os dedos acariciam as cordas no
Teu dedilhado; canta, é poesia
Para o meu coração apaixonado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário