terça-feira, 19 de maio de 2015

Professora Bartira Mourão, 587, 6; BH, 0230502012.

Escondo-me atrás da porta, debaixo
Da escada, no sótão, ou no porão;
Onde houver uma sombra, uma
Penumbra, um local escuro,
Escondo-me, que é mais seguro;
É que não posso falar, não posso
Abrir a boca e dizer alguma coisa;
Se abrir a boca, descobrir a minha
Mediocridade, não me peçais
Para pronunciar uma única
Letra; não me deixais discursar
Uma única palavra; tudo que
Disser será usado contra mim mesmo;
Tenho que permanecer calado,
Não posso criar provas contra mim
E nem abrir a boca a me denunciar
Na primeira fala; deixais-me calado,
De boca fechada, não posso cometer
Mais pecados; qualquer depoimento,
Meu, só mudo, sem voz, sem
Gestos, nada; se me manifestar,
Serei condenado na primeira
Instância, sem direito à apelação,
Sem direito a recorrer a tribunal
Superior; por favor, calado
Pareço um pensador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário