quarta-feira, 20 de maio de 2015

Professora Bartira Mourão, 587, 8; BH, 0230502012.

Não tenho forças, fôlego, ou ânimo e
Esgoto-me, nas primeiras provas;
Não tenho gás, resistência e afogo-me
Na próxima onda; não tenho suporte,
Alicerce, ou cobertua; e vivo no
Relento, à míngua e nem de mingau
Alimento-me; não tenho alento,
Desejo, anelo, e deixo-me estar horas
A fio, sem querer e sem pensar, a
Tecer o nada; não tenho poder de
Potência, potência de poder e falta-me
Libido, tesão, até para viver; não sei
Pedir um copo d'água, um pedaço de
Pão, abrigo; e corro perigo e não
Percebo, não tenho percepção para
Evitar a extinção; não tenho visão de
Entendimento e compreensão e para
Fazer-me entender, é o maior dilema e o
Mais difícil que há; nada coloco em
Prática e na prática sou nada; sempre
Alvo de reclamações, ou contestamentos,
Queixas, deixo a desejar a todos que
Esperam alguma reação de mim; e deixo
Frustrados a todos que depositaram uma
Esperança, que um dia eu seja prodígio criança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário