sábado, 26 de março de 2016

Daqui a uns dias todas estas letras serão; BH, 02901102012.

Daqui a uns dias todas estas letras serão
Póstumas e todas estas palavras defuntas;
Minha vida não foi uma obra-prima e
Não é digna de qualquer coleção; meu
Comportamento não foi o de artista de
Obra de arte, e dele não restará nenhuma
Sinopse; mesmo agora, neste momento,
Com os movimentos desta mão incerta,
Sinto-me um óbito obtuso; um falecido 
Não erudito, um cadáver aculturado; vivi
Pouco, confesso, nem história para
Contar, tive, romance, ou outros contos,
Fingi que os vivia, que era feliz, que
Amava e como não destaquei-me em
Nenhuma arte, poucos lembrarão de
Mim; por teimosia pura, teimo nestas
Letras mortas; por birra e mais nada,
Insisto nestas palavras escatológicas,
Cada um com a sua maneira de se
Perpetuar em algo; cada um com as
Suas próprias alucinações, as minhas
Bisonhas, bizarras linhas mórbidas; e
Resistirei, tinhosamente, em algum
Lugar desconhecido, resistirei, com o
Meu velho esqueleto enegrecido; a
Minha imortalidade serão os meus
Ossos; a posteridade e a eternidade se
Forem cinzas, não serão, pois os
Ventos dispersam as cinzas; os ossos
Fincados no chão, parecerão raízes e 
Minhas ossadas reagirão ao serem 
Arrancadas das suas covas e assim 
Debaterão para não serem perturbadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário