quinta-feira, 24 de março de 2016

Não posso dizer que o fim está próximo; BH, 02901102012.

Não posso dizer que o fim está próximo,
Mas, o meu fim está próximo, posso 
Dizer; todos os contemporâneos da 
Minha faixa etária, a maioria,
Já pegou o caminho de volta, ou está a
Caminho de pegar o caminho de volta; 
E sinto que estou próximo a embarcar 
Para a minha viagem sem volta; e pode 
Ser uma viagem sem ida, pois, o que de
Mais resistente temos, acaba de ficar por 
Aqui, que são os nossos ossos, que se 
Não forem incinerados e nem moídos,
Permanecerão por milhões de anos; 
Não posso profetizar sobre o fim, a não
Ser o meu e o meu fim, sei bem, 
Infelizmente, está mais do que próximo;
Aproveito, então, para escrever 
Aleatoriamente, pois, além dos ossos,
Penso que estas mofadas letras, estas vis
Bolorentas palavras, ficarão aqui, a 
Assustar e a assombrar a humanidade;
Talvez até não, não fiquem e nem 
Assustem, mas, com a proximidade do 
Meu fim, sem saúde e sem salvação,
Sem dinheiro para o caixão, a dever a 
Deus e ao mundo, que o poço no qual 
Seja enterrado, que seja bem fundo; e 
Sem identificação, para no futuro enganar
A quem encontrar a ossada, a caveira, o 
Esqueleto, pensar que são fossilizados. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário