quinta-feira, 24 de março de 2016

O universo vivia preso num ponto; BH, 02701102012.

O universo vivia preso num ponto
Ebulitivo, num dado momento, depois
De tamanha compressão, o ponto 
Explodiu-se numa bitela duma explosão
Milenar a fazer daquele ponto,
Um ponto eternamente divergente, 
Que lançou a matéria de estrutura universal,
Numa dimensão de bilhões de anos-luz;
Essa explosão silenciosa, por se de 
Altura sonora inimaginável e fugir aos 
Nossos ouvidos, formou todos os 
Sistemas conhecidos e desconhecidos
E que vagam infinitamente; não sabemos,
Mas, essa viagem, que pode durar
Mais bilhões de ano-luz, é, agora,
Em busca dum ponto convergente;
E no encontro desse ponto, é que 
Ocorrerá os choques interplanetários,
Intergaláticos, com o afunilamento
Da estrutura divergente universal,
Na compressão desse ponto convergente;
E ali, poderá ficar mais bilhões de 
Anos-luz, até ocorrer outra bitela 
Duma explosão, a lançar no vácuo,
A matéria que dará formação 
A novos sistemas universais e 
Complexos de estruturas que, tornarão
A vagar rumo ao infinito e nem estes
Pensamentos cravejados aqui, agora, 
Nesta folha de platina soldada por estes
Diamantes, resistirão ao afunilamento que,
É a busca do ponto convergente; o vácuo
Será a testemunha do que nunca 
Poderá relatar como sobrevivente. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário