domingo, 27 de março de 2016

Onde se esconde o pensamento; BH, 0701202012.

Onde se esconde o pensamento
Mais genial de uma frase, de um período,
De uma literatura que inda não foi 
Desvendada? o pensamento que não
Foi colocado a nu em linha nenhuma? 
A obra precisa de um parágrafo que, 
A torne imortal, o artigo, ou o ensaio,
Onde estão esses tesouros? em quais 
Veios de minas? em quais minas de 
Metais, minerais? será que alguém
Terá que ir ao fundo do vulcão, no 
Núcleo da lava, e formar as letras
Fundidas, formar as palavras 
Esquecidas, formatar as ideias dos
Textos a serem consagrados? e quem
Trará desses santuários dos subterrâneos
As estrias do interior dos ossos onde
A pré-história escreveu o destino da 
Nossa civilização? tenho aqui um 
Osso desse por amuleto, trago aqui 
Junto à alma, um osso desse como
Patuá; eles são os alicerces das 
Nossas igrejas, são as paredes dos 
Nossos templos e as páginas das 
Nossas bíblias; das tumbas, das 
Catacumbas, para serem libertados,
Fantasmas acorrentados nas paredes
Das masmorras, querem sair do 
Limbo e não encontram mão; e 
Fantasma precisa de mão, sem mão
Fantasma não é fantasma; e esta
Mão aqui, já é possessa, já é 
Incorporada, reencarnada de um 
Fantasma deficiente que fugiu da 
Corrente e viveu um pensamento.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário