domingo, 27 de março de 2016

Velho caquético e com os tubos cheios; BH, 0301202012.

Velho caquético e com os tubos cheios
De cerveja e cachaça, dá em quê? 
Senil insano e com os canos 
Calibrados em conhaque, acaba
Em quê? falação dentro da 
Condução; a senhora é macumbeira?
Deus que me livre, eu não; eu sou, eu sou
Macumbeiro; e a senhora é macumbeira?
Ave-Maria, de jeito nenhum; eu sou,
Eu sou macumbeiro; e haja ouvidos 
Para tanto converseiro de velho bêbedo;
E é cantoria de ponto para cá e é 
Falação contra religiões brancas
Para lá e pregação a perguntar:
Por que tudo de branco é certo e 
Tudo que é de preto é errado? e a 
Chamar o povo de aculturado, por
Ler pouco e estudar menos ainda;
Tchã, tchã, tchã, tchã: e no dia 
Seguinte, tremores, suores frios, peso
Na barriga, dor na consciência, ressaca
Geral, piriri e a vergonha na hora de 
Pegar o ônibus; mas, velho sem vergonha,
Vagabundo, não toma jeito não,
E corre logo ao boteco, a tomar uma,
Para rebater as de ontem e esquentar
A emoção; e logo em seguida, nos 
Primeiros copos, começa a soltar a 
Língua; e bicho que é bobo, é velho
Tolo, depois que bebe umas e outras
E se pensa o tal locutor de programas 
De animação de grandes audiências.

Nenhum comentário:

Postar um comentário