terça-feira, 29 de março de 2016

Se viesse à minha mente uma semente; BH, 060302016,

Se viesse à minha mente uma semente,
Plantaria um pensamento no meu cérebro
Doente e do meu coração dormente, tiraria
Terra fértil, num adubo germinador; e meu
Coração seria um pomar, uma horta, um
Jardim e no recato mais escuro, a luz
Brilharia, o sol nasceria e só choveria para 
Regar as plantas; e lavar as pedras, lavrar
As minas e desempoeirar as lavouras; e cada
Poderoso anjo santo que cair do céu será um 
Novo índio, na nova Mata Atlântica, na 
Nova floresta encantada, no novo bosque em
Flor; e nunca mais uma árvore será extinta e 
A água só para matar a sede; repôr os 
Mananciais, reviver as lagoas, os lagos, os rios e os
Regatos; e meus pés pisarão gramados finos e se
Molharão em riachos cristalinos; e beberei
Dessa mãe sagrada e comerei desse pai
Santificado e toda felicidade me habitará,
Como se fosse uma eternidade; e o amor me possuirá,
Como se fosse de verdade, imortalizado; e 
Sentir-me-ei vasto, como se fosse um oceano
Universal, imenso como se fosse um mar 
Terreal; e canto cantigas e canto canções,
Hinos e louvações e encho os ouvidos de 
Odes à alegria e de regorjeios dos pássaros
Que habitam minhas florestas, matas, bosques e jardins. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário