terça-feira, 22 de março de 2016

Solidão a qualquer hora do dia; BH, 02501102012.

Solidão a qualquer hora do dia,
Ou da noite, solidão, é o que pede
A vida e penso que a morte deve
Pedir a mesma cosa; e se não pedir,
Não peço nada, só peço solidão, é a 
Solidão dos átomos, das partículas, das
Moléculas, das matérias, das células,
Dos tecidos; é a solidão do universo.
Pois, no universo, cada ser coloca-se
Solitariamente, seja nos aglomerados 
Das galáxias; onde for, cada astro é uma
Solidão, é a solidão do óvulo, a solidão
Do espermatozoide e a do masturbador; e
A solidão do feto a bocejar no nado da 
Placenta, é a solidão da libido, da 
Adrenalina, do testosterona; é a solidão  
Do ser aculturado exótico que, na balada,
No balanço no sacolejar nas pistas
E passarelas, invariavelmente, é na
Companhia da solidão, é a solidão
Das letras, das palavras; poderia chover
Mais, a chuva é companhia para o 
Solitário na solidão do chalé do sopé
Da montanha; a solidão do retículo 
Endoplasmático rugoso e do retículo
Endoplasmático liso; a solidão dos testículos
Abandonados do lado de fora, a solidão do
Solo, do manto, do núcleo da terra;
A solidão da falta de vontade, a solidão 
Do Animo, a solidão do mercenário, do
Legionário, do aviador camicaze que, lança 
O avião cheio de explosivos contra o alvo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário