segunda-feira, 10 de agosto de 2015

MIKIO, 163; BH, 0190502013.

A água não desce da fonte da montanha?
A água sobe lá no alto, para descer aqui
Para baixo e sem explicação a ninguém;
Poderia fluir aqui embaixo, mesmo, mas
Não, sobe toda a montanha e quando
Chega lá no topo, despenca; e forma
Uma cachoeira, ou forma uma cascata,
Ou um rio, um lago, ou desce a serra em
Forma de corredeira; a água é assim,
Sem sentido, sem sentimento, sem
Organismo e nos causa belos momentos;
Cria belas paisagens com o horizonte,
Enfeita pradarias, adorna falésias; e
Depois viaja até as nuvens e nos batiza
E nos abençoa, em forma duma
Impecável e imaculada chuva; a água é
Uma retórica poética, uma poesia, um
Poema; a água é uma licença de lirismo,
É lírica, encantou poetas medievais,
Aedos gregos-romanos, impressionou
Homens da idade da pedra, os que a
Provaram pela primeira vez; e muitos
Desses homens, que, na época
Experimentaram a água pela primeira
Vez, a cuspiram, não estavam
Acostumados a beber algo tão gostoso;
Com o tempo é que descobriram que a
Água era a continuidade da vida; mas,
Algo leva-me a pensar, que, num futuro
Próximo, se nós não preservarmos as
Nossas fontes de água, nos mataremos
Uns aos outros por causa dela; e aí, a
Água deixará de ser a continuidade da
Vida, deixará de subir a montanha e
Passará a ser a causa da nossa morte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário