terça-feira, 19 de abril de 2016

Gostaria de deixar à posteridade um poema desmedido; BH, 0120402001.

Gostaria de deixar à posteridade um poema desmedido,
Enorme, do tamanho da eternidade e descomunal como
O infinito, mas o desmazelo em pensar, o desleixo e a 
Negligência, não deixam-me criar nenhuma sentença; e 
O espírito é desmazelado em demasia e o desmazelamento
Que habitou a alma, de cérebro tão desleixado, faz com 
Que, uma frase simples e pura, leve anos para movimentar-se
E desmatar a mata virgem de uma mente tosca; desflorestar
A ignorância e derrubar as matas das trevas, fazer derrubada
De florestas brutas, com um desmatamento do simplório
E com desmatreio tal, que não lembre a irregularidade 
Menstrual e querer deixar assim, de imprevisto, num 
Desmastrar de circo, num tirar de mastro de embarcação,
O desaparelhar o barco encalhado, no desmascarar o
Coração e descobrir ao tirar o capuz, ao tirar a máscara
Da falsidade e da hipocrisia e desmoralizar a mentira;
E o que seria capaz de tirar as marcas da história, de marcar
A saga, ao deixar uma marca estigmatizada? quem seria 
Capaz de viver fora das marcas liberais e ser um 
Desmarcado na globalização e um inimigo sagaz do 
Neo liberalismo? preferiria ser um desmanto, um gênero
De acácias, um gênero de leguminosas que, produz 
Frutos conhecidos pelo nome de carrapicho, a deixar de 
Ver nesse regime, nesse sistema algo consistente; só 
Sinto o desmantelo causado pela elite, o desmantelar
Causado pela burguesia, a asfixia da plutocracia; e a 
Maioria da população no desmantelamento e a falar em 
Demolir e em arruinar, é com eles, os membros tão 
Poderosos; e decompor e derribar as muralhas e as 
Fortificações populares, é o intento desses que pregam o 
Desmandar do povo, o provar o povo de mando cidadão
E cansam de cometer excessos e nem de desmanchar a 
Nação, o desarranjo do país, ao acelerar o desmanchar 
Do parque patrimonial: o apagar da luz no final do túnel,
O desfazer do caminho do progresso, o revogar de todas as
Leis do direito, o desconjuntar da harmonia do conjunto
Popular e mesmo assim, gostaria de deixar à posteridade,
Um poema que fosse pelo menos reflexivo, não consegui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário