quarta-feira, 13 de abril de 2016

Que poeta boquirroto é este? não tem nada; BH, 0180402015.

Que poeta boquirroto é este? não tem nada 
De barroco, não tem nada de cubismo, 
Fase azul, ou de surrealismo; que 
Poeta bancarrota, não tem nada de 
Gótico, de neogótico, de figurativo,
Impressionismo, ou renascentista, ou
De concretismo; que poeta morto é este?
Não tem poética, um soco inglês em 
Cada mão, uma bota de bico de aço em 
Cada pé; perdeu a ternura, perdeu a 
Razão, porco-espinho em ação, almofada
De alfinetes no coração; decapita as 
Rosas, decepa os cravos. degola os 
Jasmins, viola sepulturas em jardins;
Publica livros cheios de obras-primas,
Antologias compostas de obras de arte,
Academicista, catedrático supremo; perdeu
A luz, afogou-se no pus, que poeta sem 
Universo, se ainda tivesse pelo menos como
Uni verso, um universo, igual todo ser tem,
Um infinito no bolso, um horizonte ao 
Alcance das mãos, um morro na cacunda; 
Uma montanha no cangote, um monte em
Cada ombro, uma cordilheira na coluna
Vertebral, seria um vertebrado imortal, mas,
Invertebrado mortal, falta-lhe a coluna 
Cervical; que poeta fraco, não vence uma 
Força de gravidade, sai de cena e o 
Firmamento fica, sai do ato e a peça 
Continua e a engrenagem da máquina não
Para, com a ausência do poeta presente, 
Que não é notado nunca; debate-se no 
Espaço a fingir-se de vivo, voa grande 
Pássaro a adejar o azul do céu e um
Passarinho azul ofusca-lhe sua obra em
Viagem para o beleléu; e diante de 
Silhuetas, sombras, simulacros, 
Assombrações, vultos, penumbras, deuses,
Santos, santas, espíritos, almas, seres do
Limbo, fantasmas, ectoplasmas, o poeta 
Enfia o rabo de cachorro vira-latas entre
As pernas e  a chiar feito canário foba,
Desaparece atrás do átomo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário