sexta-feira, 8 de abril de 2016

Olha lá e a página está em branco; BH, 0220602015.

Olha lá e a página está em branco 
Ali, pensei que iria fazer milagres
E nada, nenhuma letra caiu do céu,
Nenhuma palavra foi formada na folha 
De papel, nenhum espírito materializou-se
Na palma da mão, na planta do chão,
Na pedra do coração; e não fiz por menos,
Fiz até por mais, meditei, mentalizei,
Concentrei e jurava que entrava em
Interação com a força da gravidade, com
As energias universais e era mais uma 
Invenção; não passava de um bêbado
De beira de balcão imundo de boteco
Copo sujo de rua de fundo de zona de 
Baixo meretrício; e beijava as bocas 
Sujas das putas tristes e beijava as
Bocas de herpes das baixas prostitutas 
Dos baixios e lambia suas feridas 
Sifilíticas, como um cão de rua lambe
O pus das pústulas abertas dos mendigos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário