domingo, 6 de dezembro de 2015

Há vida inteligente; BH, 0220702013.

Há vida inteligente nas pessoas, para
Ser explorada, há sabedoria, há
Logosofia, filosofia na luta contra
O império da estupidez; há discernimento
Nas pessoas, há lucidez contra o reinado
Da ignorância que causa ago nia ,
Que causa angústia; há vida racional,
Equilibrada, natural, a grande roda,
Se deixarmos, quer é nos esmagar;
Há reações em alguns setores, alguns
Segmentos que se linertar, querem
Ser independentes, livres até os dentes;
Há, na vida, quem ousa viver longe,
Fora dos rumores, das intrigas,
Dos conflitos sociais; há quem quer
Distância da bizarrice, e da morbidez;
Há esperança pelo fim da burocracia,
Das fronteiras, das barreiras, e das
Barricadas; há os que querem ficar
Dentro de suas casas, em silêncio,
A ler, a escrever, a pensar, e sem
Ter que ir trabalhar, levar uma
Vida de tecnocráta; há vida sábia
Em quem aprecia um sabiá, em quem
Mora ao lado de um joão-de-barro,
Ou de um besouro que mora num pau
Abandonado; há felicidade em quem
É pedra, e só se move quando
Todas as montanhas se movem nas
Viradas das madrugadas; há poesia, sim,
Ainda, em quem só faz questão
Na vida, de fazer da vida, um poema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário