sábado, 12 de dezembro de 2015

Haja luz; BH, 0270702013.

Haja luz, e houve luz, e ouviu-se o 
Som da luz a irromper nas trevas; 
Mas a luz não faz barulho, as trevas
Não são matérias, e todas duas são
De profundezas abissais; há luz, que,
De tão profunda, a fonte que a 
Gerou, até já desintegrou-se, quando
Ela chega aqui; há treva, que,
De tão profunda, torna-se tão
Densa, que sentimos vontade de 
Pegá-la; e o som? como foi que 
Houve o primeiro som? o que que 
Causou o primeiro som? e quem
Foi que ouviu o primeiro som causado
No universo? haja luz em mim
Um dia, e que ela ponha fim
A este meu estado de trevas, e 
Que nunca mais crie eco o som
Do meu pranto; haja luz que 
Faça-me parar de chorar de medo
Da treva; haja som que guie-me 
Nestas sendas tortuosas, nestes
Caminhos que trilho de olhos
Vendados; haja luz nesta minhas
Retinas furadas, haja luz para 
Mim, do início ao fim, com 
Satisfação, haja luz no meu 
Coração, haja luz nas pontas dos
Meus dedos, nas palmas das
Minhas mãos; haja luz no meu 
Universo, luz de cura medicinal,
Que ilumina de verdade e cura o mal. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário