domingo, 20 de dezembro de 2015

Não importa; BH, 0290702013.

Não importa, já estou condenado, e 
Culpado, réu confesso, estou condenado;
Não quero defesa, não quero justiça,
Não quero tribunal, juiz, desembargador,
Defensor, promotor, nada disso quero,
Renegado, estou condenado, e quero
Cumprir a pena; nem habeas corpus,
Alvará de soltura, ou outro benefício
Que a lei possa garantir-me; sou um 
Fora da lei, detesto lei; e não quero o
Indúbio pro réu, o contraditório, a 
Ampla defesa, não quero o direito; 
Sou um preso de penitenciária, sou um 
Presidiário, e não quero visitas, nenhum
Contato com o mundo lá fora, com o 
Estado, com o sistema, a sociedade; não
Faço questão de nenhuma assistência, 
Só a solidão de solitário na solitária;
Sem banho de sol, incomunicável,
Sem visita íntima; e quando houver
Rebelião, que eu seja feito refém, e 
Que não haja acordo nas negociações,
E que o refém seja executado; e não 
Quero coisas belas, o belo, o certo, 
Quero o torto, o duvidoso, o indeciso;
É, não quero o sadio, quero o sádico,
O terror, os versos sangrentos, os 
Versículos profanos; não sou 
Consagrado, não sou batizado, e fui
Excomungado pelo papa; mas não
Importa, nada me importa, minha 
Alma é torta, nada dá jeito nela
E neste espírito enviesado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário