segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Ando em diâmetro e em segmento; BH, 070402001; Publicado: BH, 01301202013.

Ando em diâmetro e em segmento
De reta que une dois pontos da circunferência,
A passar pelo centro; ando por dentro, do 
Lado de fora e qual a hora diametral,
Ninguém pode falar, do meu teor diamantino;
Análogo ao diamante, na dureza e no 
Brilho; mas o brilho é só do lado de 
Fora e a dureza é a do ignorante;
O mineral monométrico, carbônio puro,
A mais dura e brilhante pedra preciosa,
Representa bem, o que acontece comigo;
Pois todos dos valores que eu teria,
Para equiparar-me aos desta pedra,
São os mais baixos de um ser humano;
Nem o utensílio de vidraceiro que consiste,
Em um ponta dessa pedra fixa na
Extremidade duma varinha e que
Serve para corta o vidro, servirá para
Cortar a dureza do meu crânio, onde
Se escondem nos mais vis e tenebrosos
Recônditos, toda a minha vilania;
E no diálogo do meu ente com o
Meu ser e na conversa de pessoas
Que povoam-me, não tem proveito,
Para obra de literária em forma de
Conversação; o dialogar dos meus espíritos,
Com os meus fantasmas e assombrações;
Não servem para o dizer e o escrever em
Forma de diálogo, pois não tem a voz
E nem fala, não tem o conversar comum;
O falar alternadamente normal, não
Se ouve a voz e nem o som; é uma
Diálise, a filtração dum sal através
Duma membrana para separar a fase
Dispersa dos cristaloides, que a
Impurificam; é um dialisador, um
Instrumento que serve para dialisar e
Dialisa sem dialeto, a desconhecer a
Variedade regional duma língua de dialético, de
Bom argumentador na dialética.

Nenhum comentário:

Postar um comentário