segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Preciso duma cura e dalgo para curar-me; BH, 01401102000.Publicado: BH, 0601202013.


Preciso duma cura e dalgo para curar-me,
Um tratamento médico eficiente e que cause
Meu pronto restabelecimento de saúde; senão,
Terei que recorrer às preces do pároco d'aldeia;
Preciso sentir-me curado, restituído não de 
Certo e sim de todo o meu estado de sanidade
Físico e mental e manter todo o período
Cupuliforme, com o comendo que tem forma de 
Cúpula e curado passar a ser o curador, ser 
Aquele que faz as curas, ser o curandeiro e o 
Encarregado judicialmente de administrar,
Ou fiscalizar bens, ou interesses de outrem e assim
Impedir a minha falência fiscal da minha 
Massa falida, na curadoria e sair das garras
Do curandeirismo, com o conjunto de práticas de 
Curandeiro, que sem títulos e sem habilitações,
Passa por charlatão em medicina; quero desde
Já restabelecer-me, livrar-me de doenças e de 
Ter que medicar-me e corrigir os defeitos,
Emendar onde quebrou e remediar para 
Curtir, conservar o queijo e a carne; preciso já
Recuperar-me, tratar-me, emendar-me, corrigir-me
E ficar imunizado contra o curare, o veneno
Vegetal, extraído da casca dum cipó, o qual
É usado por certos índios sul-americanos para 
Envenenar suas flechas nos ataques à curatele;
Ao indivíduo sujeito ao curatelado, que paga caro pelo
Curativo, pela aplicação de remédios, ou penso num
Ferimento, na rede hospitalar particular privada;
E nessas horas nem as orações do curato fazem efeito
E uma papa de milho verde com leite de vaca;
Uma comida feita de carne salgada, pilada com
Farinha de mandioca; um curau às vezes vale
Mais do que o mais eficiente dos remédios
E espero que o meu mal seja curável e que eu
Não seja nunca o feto que a cureta, instrumento
Cirúrgico para raspar, em forma de colher, com
Bordas cortantes, venha arrancar do útero; e espero
Nunca ser o feto digno de uma curetagem e
Nem a mãe que se deixa curetar, a pôr em
Risco a vida dela, junto com a do filho
Que ela quer matar e apesar da condenação
Da cúria, do tribunal eclesiástico dos bispados,
Apesar do teor próprio e conveniente, ao protesto
Curial, muita mãe descuidada sofre em fundos
De quintal, em clínicas chiqueiros, morrem 
E são lançadas às beiras das estradas abandonadas;
Preciso ser um curinga, para que como em diversos
Jogos de cartas, ser a que tem valor especial,
Ao suprir a ausência de qualquer outra, em
Combinações várias e causar a curiosidade, de
Um curió, pássaro canoro da família dos frigílidas;
E causar atenção no curioso, causar indiscrição,
Como um objeto raro e original; o que tem desejo
De ver e saber, indiscreto e ousado, interessante
E sensacional, indivíduo fenomenal que,
Embora sem conhecimentos teóricos, de tudo
Entende alguma coisa; igual ao parteiro não
Diplomado, que faz o parto de curra, do
Estupro duma mulher por vários homens;
E ela não deseja ter filho de pai currador,
Filho do homem que a veio currar, violar as
Suas carnes; estuprar num curral, num lugar
Onde se junta e se recolhe o gado, tal uma
Armadilha para a pesca do peixe indefeso;
E o corpo fica lá no curraleiro, junto ao gado que
Fica, junto a uma raça de bois; longe do currículo
Não pode correr e perde a parte do curso literário;
E o curriculum vitae, o conjunto de dados relativos
Ao estado civil, preparo profissional, ou formação
Intelectual e atividades exercidas por alguém,
Vira um currupira, um ente fantástico, um tal
Curupira, da mitologia indígena, que tem
Os pés voltados para trás do corpo e para aí
De cursar, de seguir o curso do rio, de percorrer
Os caminhos, de frequentar os locais santos
E sagrados e de viajar através do universo,
Com o pensamento executado sem esforço;
E a biografia na forma de letra minúscula e
O caráter tipográfico que imita a letra manual
Maiúscula no suspiro cursivo final.

Nenhum comentário:

Postar um comentário