segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Podeis difamar-me e tirar-me a boa fama; BH, 060402001; Publicado: BH, 0901202013.

Podeis difamar-me e tirar-me a boa fama
E o crédito, mereço-os; podeis caluniar-me
E desacreditar-me publicamente, mereço-os; 
Nem sei a minha verdade, não conheço
Nada de mim, a não ser a cotidiana
Masturbação, a onanização constante,
Que faço e que é fácil e superficial;
Venhais com toda difamação, façais
A imputação determinada e circunstanciada,
De todo fato ofensivo, mas não criminoso, ou
Mesmo criminoso à minha reputação,
Mereço-a; não passo de um difenol,
Duma substância orgânica, que tem
Na molécula, duas vezes a função do 
Fenol e depositeis-me no fundo do urinol;
Pois não tenho maneira regrada de viver
E o conjunto de alimentos e em 
Determinadas proporções descritos pelo
Médico, abomino-o, igual à toda dieta,
Ou à toda assembleia política; nojo,
Mantenhais sim, a diérese, a divisão do ditongo
Em duas sílabas; o sinal ortográfico dessa divisão
E não usarei nunca o trema; mas mantenhais, o
Como o dielétrico, a substância e o objeto isolador
Da eletricidade, não quero levar choque;
Tortura, não, deixias-me em dedução, na
Boca em movimento lateral da maxila
Inferior dos herbívoros quando mastigam o
O didínamo, o vegetal que tem quatro estames:
A ser dois mais compridos que os outros;
Enquanto mastigam o dídimo, que tem duas
Partes simétricas , deixeis-me no meio; zombeis
Do didata, da pessoa que instrui, laço em pescoço
De autor de obra didática; mangueis, pois,
Mereço, não conheço a didactologia, a
Doutrina do ensino; o gênero didáctico
Em composições literárias, não tenho a
Didáctica e nem sou próprio para instruir;
E quem contém doutrinas, princípios, regras,
Ou preceitos morais? não sou eu, não,
Lincheis-me , falta-me a técnica didática,
O espírito didático abandonou-me: morri.

Nenhum comentário:

Postar um comentário